• @UsConservadores

Névoa Histórica : O Regime Militar Brasileiro

Escrito por: @RecantoConserva



Introdução

No momento atual do Brasil vemos alguns pedidos de intervenção militar por parte de uma ala radical e de desinformados de fatos históricos, sabemos que isso é por indignação e também da falta de confiabilidade de algumas instituições do Estado. O Regime Militar é o acontecimento mais importante para a nossa política atual. 1964 é um marco para história do Brasil sentimos até hoje lascas deste momento da nossa história em que a distorção que hoje é dita sobre este momento ultrapassa a irrealidade.

Mês do Golpe

Para começarmos a falar sobre vale lembrar que o golpe foi um pedido da população que seu maior exemplo de apoio foi Marcha da Família com Deus pela Liberdade, esta manifestação reuniu cerca de 500 mil pessoas e simbolizava a sustentação civil e foi um movimento contrário aos de esquerda que aconteceram em alguns pontos do pais dias antes.

Os Dias do Golpe

A instabilidade nacional e o cheiro forte de conspiração contra a vossa excelência da época levaram está data como a simbólica data da Contra-Revolução. Nesta da as tropas do General Olimpio Mourão Filho saíram de Minas Gerais e partiram para o Rio de Janeiro com o único objetivo de depor o Presidente João Goulart, e com isso Minas Gerais foi considerado o primeiro estado rebelde contra o governo. João Goulart já isolado e com a iminência de um golpe em seu governo mandou prender o general Castelo Branco (um dos articuladores do golpe) e enviou tropas que partiram para Minas para tentar conter os rebeldes, e essas tropas aderiram ao movimento rebelde, Jango via seu governo cair feito uma fruta podre.


Na noite de 31 de março, os congressistas debatiam quantos estados iriam aderir aos rebeldes. Brasília da noite para madrugada de 1° de abril teve suas comunicações cortadas e o espaço aéreo fechado como também suas estradas que eram ligadas as outras capitais de Estados foram fechadas pelas forças armadas, todas as redes de comunicações do país foram invadidas pelos militares, os militares já estavam " chutando a porta" para a entrada no governo. Na manhã de 1º de abril e início da tarde João Goulart ainda estava no Rio de Janeiro em busca apoio para conter o golpe, no fim da tarde partiu pra Brasília para uma reunião com militares que ele ainda acreditava ser fiel ao seu governo, mas Jango sem possibilidades de resistir ao golpe partiu as pressas para o Rio Grande do Sul.


No fim da noite se iniciou a sessão que entraria para história que durou até 3 horas do dia 2 de abril, que declarou vacância do presidente da República o ato que quebrou a constituição já que a vacância só pode ser declarada quando o presidente está fora do país. Ranieri Mazzilli assume então interinamente o governo, e dia 3° de abril as forças armadas já tinham poder nas mãos (Jango já tinha fugido para o Uruguai).

Pós dias do Golpe


Após os dias das ações dos militares conjuntas com o congresso começou uma grande ação para prisão de políticos da oposição aos militares e líderes contrário ao golpe. Após 6 dias o AI-1 é decretado o governo poderia mandar cassar mandatos do legislativos, a suspensão dos direitos políticos de qualquer cidadão, e determinar a eleição indireta do Presidente da República para um mandato até 31 de janeiro de 1966. Dia 11 acontece uma eleição com apenas um candidato (Castelo Branco) e no dia 15 o Marechal assume a cadeira presidencial e três meses depois consegue do Congresso Nacional a prorrogação de seu mandato até 15 de março de 1967, adiando a eleição para 3 de outubro de 1966.


E com isso terminamos a parte 1 do conjunto de artigos Névoa histórica: o Regime Militar Brasileiro que preza pela fim da desinformação sobre os fatos ocorridos e para abranger o conhecimento histórico. Agradeço a todos que leram o artigo e que todos acreditem que possamos construir uma nação melhor para as gerações futuras.


"Uma mentira na história pode ser pior que qualquer ditadura, pois esconde a verdade." - Recanto Conservador
5 visualizações0 comentário

Receba Nossos Artigos:

Os Conservadores © 2020