• @UsConservadores

O Único Imperador dos EUA

Atualizado: Jan 7

Escrito por: Ferraresi



Em 1819 no Reino Unido nascia o primeiro e único monarca dos Estados Unidos da América, no seu primeiro ano de vida sua família se mudou para outra parte do Império Britânico: África do Sul, onde passou sua juventude. Em 1848 seu pai John Norton faleceu, herdando Joshua, que ao invés de assumir os negócios da Família Norton decidiu viajar pelo mundo por um ano, até que em 1849 foi para os Estados Unidos da América, mais especificamente, para a Califórnia, chegou lá com a alta quantia de 40 mil dólares e com este dinheiro se estabeleceu no ramo imobiliário e de importação, fez os negócios prosperarem e as estimativas dizem que ele chegou a ter um patrimônio de 250 mil dólares o que à época era um valor gigantesco.
Porém, Joshua veio a falir, a China havia proibido a exportação de arroz, o que fez o preço do grão subir muito, prevendo isso Joshua apostou todas suas economias em arroz e de fato o preço subiu, porém antes que ele pudesse aproveitar isso dois navios cheios de arroz aportaram na Califórnia fazendo o preço do arroz estabilizar, Joshua que havia apostado tudo, perdeu tudo.
Depois de falir Joshua desapareceu por algum tempo, até que, em 1859 ele envia cartas para os jornais da Califórnia onde se proclama "Norton I, Imperador dos Estados Unidos da América"; claramente louco, o agora Norton I, convocou todos os governadores dos EUA para se reunirem no Salão Musical de São Francisco e ordenou ao Comandante do Exército dos EUA para dissolver o Congresso Nacional, obviamente ele foi ignorado. Porém, mesmo falido, louco e convencido que era um monarca, ele conquistou o amor do povo da Califórnia: Todos os dias ele acordava cedo e vestia um uniforme militar que a penitenciária da cidade lhe deu e partia para vistoriar a cidade, ele ia em postos policiais para verificar o trabalho da polícia, visitava construções de obras públicas, cobrava de todos e era exemplo de seguir as leis da cidade, pela tarde ele escrevia decretos e cartas em seu quarto, algumas delas para a Rainha Vitória do Reino Unido, ele queria convence-la a unir as monarquias através de um matrimônio, claro, foi ignorado.
O Imperador era verdadeiramente querido pelo povo, teatros e restaurantes o convidavam para ter sua indicação e ao ganhar a expunham em placas: "Por indicação de Sua Majestade Imperial Norton I dos Estados Unidos". O Governo da Califórnia lhe dava dinheiro para se sustentar. Norton I criou sua própria moeda, e até renomados comércios a aceitavam. Ele podia vistoriar os cadetes e marchar na frente das tropas durante desfiles militares. Durante eventos públicos ele ganhava destaque. Ele foi o primeiro a idealizar a famosa Golden Gate, na época, claramente foi ignorado, mas muitos anos depois quando fizeram a ponte colocaram uma placa em homenagem ao Imperador Norton I, e está lá até hoje.
Durante a Guerra Civil Americana, ele enviou cartas para as lideranças dos dois lados para que ele pudesse intermediar a paz, como um verdadeiro monarca faria, mais uma vez foi ignorado. Já impediu brigas se colocando no meio e rezando em voz alta, fazendo os baderneiros pararem. Chegou a se proclamar também Protetor do México
Então, em uma noite de 1880, a caminho de uma palestra na Academia de Ciências da Califórnia, o Imperador desmaiou em frente a uma igreja, foi socorrido, mas faleceu antes de chegar ao hospital, no dia seguinte o San Francisco Chronicle publicou sua morte em primeira página dizendo: "Na calçada, na escuridão de uma noite sem lua sob chuva pingando Norton I, pela graça de Deus, Imperador dos Estados Unidos e Protetor do México partiu desta vida".
O povo hasteou bandeiras a meio mastro e fechou comércios em sinal de luto, no dia seguinte houve um grande cortejo fúnebre de seu corpo, uma homenagem final de súditos ao seu falecido imperador.
Esta história, por si só prova, que o que legítima de fato um monarca, vai além de sangue azul ou de força militar, se um monarca precisa usar força para se manter no poder, é apenas um ditador, monarcas estão onde estão por legitimação popular e ao longo da história, todos os que perderam apoiou caíram, a história do Imperador Norton I prova que o amor do povo transforma o mais relés plebeu em imperador.



66 visualizações0 comentário

Receba Nossos Artigos:

Os Conservadores © 2020